Sarcófago em granito, com tampa prismática lisa, em quatro águas e de secção hexagonal. Sem decoração, o arcaz apresenta uma epígrafe num dos laterais que identifica Frei António da Ressureição, padre franciscano que faleceu em 1577 vítima da epidemia que atingiu a cidade de Penafiel (então lugar de Arrifana de Sousa), e em memória de quem a população mandou fazer o túmulo, como agradecimento pelo auxílio prestado aos enfermos.

Localização
Freguesia: Penafiel
Lugar: Avenida de S. Roque, adro da Capela de S. Roque

Classificação
M.N., Decreto de 16 de Junho de 1910

Bibliografia Relacionada
FERREIRA, Simão Rodrigues – “Apontamentos” – Penafiel, Boletim Municipal de Cultura, 3ª Série, Vol. 2/3, Câmara Municipal de Penafiel, 1985/1986;
MIRANDA, Abílio – “Capelinha de S. Roque” – Penha-Fidelis, n.º 1, Penafiel, 1927;
IPPAR – “Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado – vol. II”, Lisboa, 1993; SOEIRO, Teresa – Penafiel – Ed. Presença, Lisboa, 1994;

BARBOSA, Arlindo, “Frei António da Ressurreição, frade franciscano natural de Arrifana de Sousa” (1577) – Câmara Muncipal de Penafiel, 2005.

Ligações úteis
 www.monumentos.pt
 www.ippar.pt