Igreja românica composta por uma só nave rectangular, com capela-mor quadrangular separada da nave por arco cruzeiro de volta perfeita, assente sobre colunas com capitéis e impostas decorados com motivos fito e zoomórficos. No portal axial predomina o mesmo tipo de decoração zoomórfica. Mais tardias, foram-lhe anexadas uma capela lateral e uma pequena sacristia. Anterior a 1258, a sua fundação é tradicionalmente atribuída a D. Mafalda, filha de D. Sancho I, embora Carlos Alberto Ferreira de Almeida aponte a construção do actual templo para meados do século XIII, com base em critérios estilísticos. Tendo sofrido obras de remodelação levadas a cabo pela D.G.E.M.N. na década de 50, foi-lhe retirada da fachada a torre sineira que ali se encontrava.  A paróquia mantém a denominação original, Gândara, embora a freguesia seja mais conhecida pelo topónimo de Cabeça Santa devido à existência de uma relíquia venerada desde a Idade Média, roubada no final do século XX.

Localização  
Freguesia: Cabeça Santa
Largo Padre Carlos Pereira Soares, Cabeça Santa

Classificação
M.N., Decreto n.º 14425, de 15 de Outubro de 1927, com Z.E.P. (Portaria de 15 de agosto de 1951.

Época
Medieval

Bibliografia Relacionada
D.G.E.M.N., “Igreja de S. Gens de Boelhe” – Boletim da Direcção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacional,  n.º 64, Lisboa, 1951; ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de, “O Românico”, História da Arte em Portugal, vol. 3, Ed. Alfa, Lisboa, 1986; IPPAR, “Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado – vol. II”, Lisboa, 1993; AMARAL, Paulo e TEIXEIRA, Ricardo – “Elementos para a Carta Arqueológica de Penafiel” – Homenagem a Carlos Alberto Ferreira de Almeida, Actas I, Cadernos do Museu, n.º 2, Museu Municipal de Penafiel, 1998; SANTOS, Maria José Ferreira dos, “A Terra de Penafiel na Idade Média – estratégias de ocupação do território (875-1308)” – Cadernos do Museu, n.º 10. Museu Municipal de Penafiel, 2004.

Ligações úteis

Rota do Românico

 www.monumentos.pt