Freguesia de Rans

Área da Freguesia: 3,1 km2

População Residente: 1914 Indivíduos

Densidade Populacional: 617,4 hab/km2


Presidente: Orlando Luís

Secretária: Márcia Rocha


Tesoureiro: Fábio Moreira


Presidente Assembleia de Freguesia: Joaquim Luís da Rocha e Silva

Morada
Junta de Freguesia de Rans
Av.Dr. Avelino de Sousa Soares, 120
4560-755 Rans

Contactos
Tlf.: +351 255 724 558
Tlm.: +351 935 724 558
E-mail: freguesia.rans@gmail.com

Horário de Atendimento
Terça e quinta-feira: 20h30 às 22h00

 www.jf-rans.pt

 


Conheça Rans

História
Em 686, a paróquia encontrava-se edificada, segundo vestígios arquiológicos encontrados no seu território.
A Capela da Senhora da Guia, a Igreja Paroquial, a Ponte Românica, a Casa do Amial, a Casa de São Tomé e a Honra de Barbosa, são alguns exemplos do seu património.
Até 24 de Junho de 1999, a sua designação oficial era Rãs.

Monumento
Honra de Barbosa ou Torre de Barbosa
A actual configuração da Torre de Barbosa, esconde um dos mais antigos testemunhos da arquitectura medieval em Portugal. A tradição remete para 866, como o ano da construção de uma primitiva estrutura militar neste local. No entanto, ainda não se identificaram quaisquer vestígios desta primitiva estrutura e só a intervenção arqueológica poderá esclarecer.

No século XII, existem informações mais seguras sobre este momumento. No reinado de D. Afonso Henriques, esta terra esteve na posse de D. Mem Moniz (irmão de D.Egas Moniz), nobre a que se atribui a construção de um paço fortificado no local. Por testamento esta propriedade passou para a sua filha, D.Teresa Mendes, e por casamento desta com D.Sancho Nunes de Barbosa, o primeiro nobre em Portugal a usar este apelido e a cuja existência se deve a alteração do topónimo.

O aspecto actual da torre medieval remete para meados do século XIV e , posteriormente , de duas reformas nos reinados de D.João I e de D.Manuel.
A torre é uma estrutura de planta quadrangular, de dois andares marcados por vãos abertos nos alçados, e encimada por uma linha de ameias a toda a sua volta. O aparato denso dos muros dá-lhe um aspecto mais arcaico que aquele que seria de supor numa construção do século XV.
No reinado de D.Manuel , esta torre foi objecto de uma modernização.
Por essa altura, ter-se-ão dado importantes transformações nas partes habitacionais, alterações estas que a época moderna se encarregaria de aprofundar.

Outros locais de interesse

  • Capela da Senhora da Guia
  • Igreja Paroquial
  • Ponte Românica
  • Casa do Amial
  • Casa de São Tomé

Tradições
Festas e Romarias: S.Miguel (primeiro fim –de-semana de Maio); S.João (24 de Junho); Nossa Senhora da Guia (primeiro fim –de-semana de Setembro).


Heráldica

Publicada no Diário da República, III Série de 25 de Outubro de 1997


Brasão – escudo de ouro, com um dragão de vermelho entre cinco cunhas de negro, duas em chefe, duas nos flancos e uma em contrachefe; em ponta, faixeta ondeada de três tiras de azul e prata. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: «RANS – PENAFIEL».


Bandeira – de vermelho. Cordão e borlas de ouro e vermelho. Haste e lança de ouro.

 

Selo – nos termos da lei, com a legenda: «Junta de Freguesia de Rans – Penafiel».