visitar-penafiel patrimonio classificado do concelho-cabeça santa

Igreja românica composta por uma só nave rectangular, com capela-mor quadrangular separada da nave por arco cruzeiro de volta perfeita, assente sobre colunas com capitéis e impostas decorados com motivos fito e zoomórficos. No portal axial predomina o mesmo tipo de decoração zoomórfica. Mais tardias, foram-lhe anexadas uma capela lateral e uma pequena sacristia. Anterior a 1258, a sua fundação é tradicionalmente atribuída a D. Mafalda, filha de D. Sancho I, embora Carlos Alberto Ferreira de Almeida aponte a construção do actual templo para meados do século XIII, com base em critérios estilísticos. Tendo sofrido obras de remodelação levadas a cabo pela D.G.E.M.N. na década de 50, foi-lhe retirada da fachada a torre sineira que ali se encontrava.  A paróquia mantém a denominação original, Gândara, embora a freguesia seja mais conhecida pelo topónimo de Cabeça Santa devido à existência de uma relíquia venerada desde a Idade Média, roubada no final do século XX.

Localização  
Freguesia: Cabeça Santa
Lugar: Cimo de Vila

Classificação
M.N., Decreto n.º 14425, de 15 de Outubro de 1927; Z.E.P., D.G., 2ª Série, n.º 15, de 18 de Janeiro de 1951.
Alguma Bibliografia Relacionada D.G.E.M.N., “Igreja de S. Gens de Boelhe” – Boletim da Direcção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacional,  n.º 64, Lisboa, 1951; ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de, “O Românico”, História da Arte em Portugal, vol. 3, Ed. Alfa, Lisboa, 1986; IPPAR, “Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado – vol. II”, Lisboa, 1993; AMARAL, Paulo e TEIXEIRA, Ricardo – “Elementos para a Carta Arqueológica de Penafiel” – Homenagem a Carlos Alberto Ferreira de Almeida, Actas I, Cadernos do Museu, n.º 2, Museu Municipal de Penafiel, 1998; SANTOS, Maria José Ferreira dos, “A Terra de Penafiel na Idade Média – estratégias de ocupação do território (875-1308)” – Cadernos do Museu, n.º 10. Museu Municipal de Penafiel, 2004.

Ligações úteis
 www.monumentos.pt
 www.ippar.pt