Bem-vindo aPenafiel

Festas e Romarias

Festas e Romarias


Festas, Feiras e Romarias, por Teresa Soeiro
 
De entre as festas e romarias penafidelenses tem renome a Festa do Corpo de Deus, celebrada ainda à moda antiga (desde o séc. XVI), com a presença nas ruas, já na véspera, da Cavalhada, da Serpe e dos Bailes dos Ofícios, que com o Estado de S. Jorge e o Boi Bento tomarão parte na solene procissão. Desde finais do século XIX que também na véspera percorre a cidade o cortejo do Carneirinho, desfile de animais enfeitados, um por cada grupo de alunos do ensino básico, que o oferece festivamente ao seu professor celebrando o final do ano lectivo, memória do pagamento feito pelos pais de outros tempos, antes do ensino se tornar público.

A Festa e feira de anual de S. Martinho, em Novembro, é outra época animada para visitar Penafiel. Todas as ruas estão preenchidas por feirantes dos mais variados bens e ficam apinhadas de gente. Era ocasião de comprar o necessário à casa para todo o ano, de vender excedentes, cumprir o contrato com os criados rurais, negociar animais (bovinos e equinos) e, acima de tudo, provar o vinho novo.

Ao longo do ano outras festividades patronais e romarias são muito procuradas, como a da Senhora da Saúde, em Bustelo, na segunda-feira depois da Páscoa, em que a tradição manda comer merendas no campo em redor do arraial, ou a romaria dedicada a S. Simão, em Outubro, especialmente eficaz contra os cravos, que leva a Urrô muitos pagadores de promessas. Como era a última do ano, também aqui se acertavam contas das disputas acumuladas na temporada. 

                                          
 
Invulgar é a festa das Endoenças, em Entre-os-Rios, na Quinta­-Feira Santa. Esta cerimónia da Semana Santa que se realizava um pouco por toda a Europa, tem aqui um enquadramento paisagístico ímpar, uma vez que a procissão nocturna do Encontro tem de atravessar o rio Tâmega, junto à desembocadura no Douro, o que até meados do século XX se fazia apenas de barco. As encostas sobranceiras, as margens do Douro e do Tâmega bem como todas as embarcações destes rios iluminam-se para esta celebração, acendendo mais de 30 mil velas, criando assim um efeito visual espectacular.