Bem-vindo aPenafiel

Eventos Cíclicos

Eventos Cíclicos


Endoenças

Todos os anos, por ocasião da Páscoa, na quinta-feira santa, são acesas cerca de 50.000 velas nas margens dos rios Douro e Tâmega, iluminando a passagem de uma procissão noturna e dando o mote a uma cerimónia religiosa ímpar - as Endoenças.
Com mais de 300 anos de história, este evento religioso leva todos os anos milhares de pessoas às margens dos referidos rios para se deixarem fascinar por um espetáculo de luz que invade por completo as encostas da região.
Até ao ano de 1941 eram usados barcos para fazer a travessia entre as duas margens dos rios. Agora, os mesmos barcos são usados nesta cerimónia para iluminar. Da proa à ré, do casco ao topo dos mastros, as embarcações também participam neste espetáculo único de luz para dar mais brilho às celebrações Pascais.


Festas do Corpo de Deus

No final da Primavera, Penafiel alegra-se para a preparação da sua grande Festa - o Corpo de Deus.
A Festa inicia-se na véspera do Feriado do Corpo de Deus. Neste 1.º dia, é habitual organizar-se o cortejo do carneirinho, que integra as crianças dos jardins-de-infância e das escolas do 1.º ciclo do concelho, num desfile pelo centro da cidade, fazendo cada turma acompanhar-se de um Carneiro a oferecer ao professor/educador no final do cortejo.
Das celebrações faz também parte a Cavalhada, um desfile composto por uma charrete puxada por uma parelha de cavalos, que transporta a "figura da cidade" que se dirige à entrada dos Paços do Concelho, onde, de pé, pede silêncio, a fim de saúdar a edilidade e apresentar cumprimentos ao seu Presidente.
No dia do Corpo de Deus tem lugar a majestosa procissão, única no país por aliar religioso e profano.
Singulares são também os bailes que retratam as diferentes profissões do passado que marcaram a história e a vida das gentes de Penafiel. No Corpo de Deus saem à rua os bailes dos ferreiros, floreiras, pauzinhos, pedreiros, pretos e turcos, cada um com seus trajes e coreografias.


Agrival - Feira Agrícola do Vale do Sousa

A maior feira agrícola do norte e centro do país - a Agrival - tem lugar em Penafiel todos os anos, durante o mês de Agosto.
O certame decorre durante 9 dias, onde toda a região do Vale do Sousa e, ainda, dois concelhos do Baixo Tâmega se encontram em grande destaque. Cada dia da feira é dedicado a um concelho diferente, o que faz da Agrival uma grande montra do que de melhor a região tem para oferecer.
A exposição ocupa uma área de mais de 25.000m2, "povoada" por centenas de expositores que tornam a Agrival na maior feira agrícola de referência no norte do país.
A par da exposição, este certame é também um espaço de cultura e entretenimento, pensado para diferentes públicos, de todas as idades e gostos. Por lá passam artistas de referência da música nacional e local.
Por fim, não podemos ainda deixar de destacar os tradicionais concursos organizados em apologia dos principais produtos da região: broa de milho, cebola, melão casca de carvalho e pão-de-ló, que deixam "água na boca" aos visitantes, servindo de "entrada" para o melhor que a região tem a oferecer em termos gastronómicos.
Por fim, destaque para a Mostra Gastronómica que tem lugar durante todos os dias do certame e onde se encontram representados, todos os anos, restaurantes oriundos das mais diversas zonas do país.


Feira de S. Bartolomeu

A Feira de S. Bartolomeu, vulgarmente conhecida por feira das cebolas, realiza-se todos os anos a 24 de Agosto, sendo uma das mais importantes mostras deste produto do concelho e da região.
O seu nome e importância não têm fronteiras e hoje, aquela que sempre foi considerada como o espaço por excelência deste produto agrícola, foi-se convertendo num espaço para a comercialização de outros produtos bem tradicionais.
A simbologia da feira, de caráter religioso, relembra S. Bartolomeu. Segundo "reza" a lenda,na noite de 23 de Agosto, solta-se o diabo que todo o ano esteve preso por uma corrente aos pés deste santo. Apesar de, ao longo do tempo, se ter perdido algum do cariz religioso atribuído a esta efeméride, ainda continuam a ser muitos os fiéis que se dirigem ao Santuário de Nossa Senhora da Piedade, no Parque do sameiro, na manhã de 24 de Agosto, para assistirem à Eucaristia. Não deixa de ser, contudo, a feira das cebolas, que inclusivamente integra o programa da Agrival, que continua a ser a principal atração para as milhares de pessoas que visitam o concelho neste dia.


Feira de S.Martinho

Em pleno Outono, o S.Martinho convida a visitar Penafiel.
A tradição mantém-se e o S. Martinho, padroeiro da cidade de Penafiel, dá o seu nome a esta feira, que se realiza em Novembro e que constitui uma verdadeira mostra de produtos variados, com especial destaque para o artesanato e para os setores do calçado, vestuário, têxteis-lar, ferragens e ferramentas, maquinaria agrícola e gado.
Noutras épocas, a população aproveitava esta ocasião para se abastecer de agasalhos, cobertores, samarras, capotes e bonés, entre outros produtos que o rigor do Inverno obrigava a ter por casa.
Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, mas a tradição mantém-se e a castanha assada continua a ser a "rainha" do S.Martinho, sem esquecer o vinho novo e os diversos pratos típicos desta época do ano, de que são exemplo os rojões.
Todos estes sabores e tradições em tons outonais são, por si só, um excelente convite para uma visita ao nosso S.Martinho.


Festa do Caldo de Quintandona

A Festa do Caldo e da Música Tradicional de Quintandona, em Lagares, é uma festa dedicada à gastronomia local e a atividades de natureza teatral, musical e cultural.
Durante três dias são dados a conhecer locais magníficos em termos visuais e históricos, acompanhados de uma gastronomia extremamente rica, variada e de excelente sabor e de uma atividade lúdico-cultural de excelência; animação de um espaço especial com música especial, com espetáculos que trazem vida, alma e cheiros d’outrora.
Aventure-se, pois, a participar nesta iniciativa, onde além da gastronomia e dos jogos tradicionais, o prato forte são as atuações do grupo de teatro comoDEantes, sedeado na aldeia de Quintandona. Este grupo assume-se especificamente na área da commediadell'arte, género que pressupõe o uso de uma máscara e a criação de textos baseados nas vivências do povo.
A não perder, todos os anos, em Setembro, na aldeia rural preservada de Quintandona, na freguesia de Lagares.


Escritaria

Penafiel acolhe todos os anos, no mês de Outubro, o festival literário Escritaria, que junta, em torno de um escritor de língua portuguesa vivo, o estudo, a partilha e a fruição da sua obra, numa organização conjunta da Câmara Municipal de Penafiel com a Edições Cão Menor.
O Escritaria desenvolve-se a partir de um vasto conjunto de iniciativas de reflexão e partilha literária sobre o homenageado, tudo num autêntico ambiente de "contaminação" pela vida e obra do autor, visível nas ruas, nas fachadas dos edifícios, nas montras das lojas, com recurso a diferentes intervenções artísticas em espaço urbano, a aforismos, frases soltas, referências históricas, imagens e obras plásticas que remetem para o universo do escritor.
Até ao momento já foram homenageados Urbano Tavares Rodrigues (2008), José Saramago (2009), Agustina Bessa-Luís (2010), Mia Couto (2011), António Lobo Antunes (2012) e Mário de Carvalho (2013).