Bem-vindo aPenafiel

Visitar Penafiel

UM PÉRIPLO PELO CONCELHO

Penafiel é um concelho de forte vocação e apelo turísticos. As suas manifestações de interesse perpassam vários domínios, como sejam, o seu património, a sua gastronomia, as suas paisagens naturais, as suas tradições, feiras e festividades, às quais acrescem as estruturas turísticas construídas e em construção.

A PAISAGEM NATURAL


Penafiel é um concelho de montes, vales e rios, que pode ser fruído a partir de vários pontos e lugares. Deixa-se, todavia, a sugestão de aproveitar os belos planos de água decorrentes da albufeira do Tâmega ou as encostas agrestes do Douro.

O PATRIMÓNIO

Penafiel é também um concelho onde se percebe a intensa humanização de que o seu território foi alvo, ao longo de vários milénios. Assim, podem ser apreciados vários monumentos que a arte humana ofereceu à luz do dia, desde os imemoriais tempos pré-históricos.

Aqui podem ser visitados a Anta de Santa Marta, o Menir de Luzim, gravuras rupestres e várias necrópoles.


É também neste território que pode ser visitado um dos maiores castros do Noroeste Peninsular – o Monte Mozinho (Oldrões/Galegos). Trata-se de uma cidade proto-romana, coeva do início da era, que tantos estudiosos e visitantes tem atraído para dentro dos seus limites. Integra a recentemente criada Rota dos Castros e Verracos da Fronteira Hispano-Lusa, juntamente com as Deputações de Ávila e Salamanca (Espanha) e os municípios de Miranda do Douro e Mogadouro, projeto financiado pelo Interrreg IIIA. Ali foi recentemente inaugurado o seu Centro Interpretativo, a zona de acolhimento de arqueólogos e vigilantes (apoiados pela ON, medida Cultura) e quatro modernas esculturas de outros tantos artistas. É intenção do Município continuar a beneficiar a zona de acolhimento dos visitantes.
 
Também merecem um especial relevo, os monumentos que integram a Rota do Românico do Vale do Sousa (apoiada pela ON – AIBT Vale do Sousa), a saber, o Mosteiro Beneditino de Paço de Sousa (onde se encontra o túmulo de Egas Moniz), a Igreja de S. Gens (Boelhe), a Igreja da Gândara (Cabeça Santa), a Igreja de S. Miguel de Entre-os-Rios (Eja), os Túmulos da Igreja de S. Pedro de Abragão, o Memorial da Ermida (Irivo) e a ponte de Espindo (entre Bustelo e Lodares/Lousada).

Também é de evidenciar o património e arquitetura rurais, existentes em vários lugares e aldeias do concelho, com especial incidência para as Aldeias Preservadas de Quintandona (Lagares) e Cabroelo (Capela), e de Entre-os-Rios, em recuperação.

Recomenda-se ainda a visita do Mosteiro Beneditino de Bustelo e o aqueduto que se ergue na sua envolvente, bem como o Santuário da Nossa Senhora da Piedade (Sameiro) e o Centro Histórico da cidade.
 
 A GASTRONOMIA

Ninguém fica indiferente à gastronomia penafidelense, que pode ser apreciada, em todas as épocas do ano, em qualquer um dos restaurantes que se estendem pelo concelho.

Desde logo, é de salientar a Lampreia (e o Sável), iguarias celebradas através da Rota da Lampreia, promovida pelo Município todos os anos na sua época, aqui especialmente confeccionada na modalidade de arroz (à Entre-os-Rios) e à Bordalesa.

Mas também são dignos de registo e boa degustação o cabrito assado no forno e o cozido à portuguesa e, na doçaria, os bolinhos de amor, as tortas de S. Martinho, a Sopa Seca e o Pão-de-Ló de Rio de Moinhos.
 
Como não podia deixar de ser, o vinho verde é também rei nas mesas penafidelenses, ou não fosse este o concelho com maiores responsabilidades na sua produção e exportação.

 
AS TRADIÇÕES, FEIRAS E FESTIVIDADES

Durante todo o ano, temos para oferecer ao nosso visitante algumas das tradições, feiras e/ou festividades desta terra.

Logo em Janeiro poderá ser uma oportunidade para assistir ao cantar das Janeiras ou dos Reis, a que se segue, logo em Fevereiro, é a época do Serrar da Velha e do Carnaval.

Com a Primavera, chegam as festas pascais, tão enraizadas na nossa cultura, salientando-se: as Endoenças de Quinta-Feira Santa, em Entre-os-Rios (Eja), que deslumbram qualquer um pelo belo espetáculo de luz proveniente de dezenas de milhares de velas colocadas nas margens e leitos dos rios Douro e Tâmega; a Paixão do Senhor, que ocorre no dia de Sexta-Feira Santa, na cidade de Penafiel; os cortejos decorrentes das dezenas de “compassos” em todas as aldeias do concelho e, na segunda-feira de páscoa, a romaria da Senhora da Saúde, em Bustelo.

No final da Primavera, chegam as Festas do Corpo de Deus, únicas no país e no mundo por, ao longo de cerca de seiscentos anos, preservarem a matriz sacra e profana da sua procissão.
 
Em Agosto, é tempo de evidenciar as potencialidades económicas e agrícolas da região através de AGRIVAL que, após mais de 25 anos, atrai anualmente mais de cem mil visitantes.
 
Com a chegada do Outono, chegam mais festas e romarias. Destacando-se, nos finais de Outubro, a concorrida romaria de S. Simão (Urrô), tempo já para as primeiras provas do vinho novo e, ainda antes das festas natalícias, a Feira de S. Martinho, que ocorre entre os dias 10 e 20 de Novembro, e que ao longo dos séculos tem atraído dezenas de milhares de visitantes à cidade de Penafiel, para uma feira única, sobretudo pela tradição do vinho novo, da castanha, do gado e das compras para o Inverno. É por esta ocasião que ocorre, também, o feriado municipal, a 11 de novembro. 

 
AS ESTRUTURAS TURÍSTICAS

Para potenciar todo o manancial turístico que este concelho alberga, tanto os públicos como os privados estão a preparar o futuro, criando e adaptando equipamentos públicos que garantem a qualificação do território penafidelense na temática turística.
 

Em primeiro lugar, é de realçar a beneficiação e recuperação do Parque Termal de S. Vicente, que alberga um Balneário Romano e que dispõe de uma água termal, de inegável qualidade. Um moderno equipamento de tratamento termal, de saúde e de lazer, com total respeito pela tradição e património do lugar. Juntamente com as Termas da Torre – Entre-os-Rios (Portela/Eja) em pleno funcionamento (INATEL), integram a boa oferta termal de que Penafiel tem grandes tradições.
 
Em segundo lugar, é de referir a recuperação da Frente Ribeirinha de Entre-os-Rios (Eja) que permitiu requalificar este belo espaço ribeirinho e dotar o local de um dos maiores cais de acostagem para barcos de grande porte, do rio Douro, através do qual poderão entrar no concelho de Penafiel e na região os inúmeros turistas que, anualmente, partem à aventura deste maravilhoso rio.
 

Depois, é de sublinhar a nova unidade hoteleira de grande qualidade na cidade, um hotel de quatro estrelas (Penafiel Park Hotel) situado junto ao Parque da Cidade e/ou Centro de Exposições, e que acresce, ao já anteriormente existente, Hotel (PenaHotel).

É também digna de distinção, a moderna estrutura em pleno Centro Histórico, o novo Museu Municipal (com Parque de Estacionamento subterrâneo e pequeno Auditório acoplados). Trata-se de uma obra da traça da família Távora (Fernando e Bernardo) que evoluiu a partir da recuperação do Palácio Pereira do Lago (Antigo Colégio do Carmo) e da ocupação dos espaços envolventes. Esta obra, disponibiliza salas dedicadas à etnografia penafidelense, à história da cidade, à arqueologia e a exposições temporárias.

Todos estes equipamentos somados aos espaços já referidos, nomeadamente os monumentos integrados na Rota do Românico e o Centro Interpretativo do Castro do Monte Mozinho, constituem um motivo acrescido para visitar Penafiel!

Aguardamos pela sua visita…!